Série Amor proibido

por Simon-Poeta

I Antologia "Whisky, Charuto e Poesia"

Clique na imagem e marque presença!

Portal Poesia é Vida

Clique na imagem e visite nosso portal: "um lugar íntegro, pra quem é bem informado."

APP Poesia é Vida

Clique na imagem para baixar gratuitamente nosso APP para dispositivo móvel.

Biblioteca Poesia é Vida

Clique na imagem para receber nossas indicações de leitura.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Doce amargura


Doces são teus olhos negros,
Negros e salgados.
Sagrados na divindade, prateados
beijos, holofotes, abraços, chamegos.

Escarlate é a tua língua macia,
Macia e roxa.
Peitos, nádegas e coxas,
Nada mais.

Negra é tua pele sedosa,
Sedosa e branca.
Branda, cheirosa como lavanda,
Visão estupendamente maravilhosa.

Amargas são tuas palavras;
Palavras que doem...
Dói sempre mais em mim,
Quando dizes assim,
Que não ama-me mais.

É doce o teu olhar,
Mas, contudo,
És amarga
Porque faz-me chorar.

José Álvares - heterônimo de Simon-Poeta

Sonhadora Apaixonada


minha vida
meus sentidos
nossas vidas
nossos desejos
nossos corpos quentes
nossas mãos suadas
nossas fantasias infames
o desejo à flor da pele
nossas bocas se encontram
nossos corações aceleram
você me toma nos braços
sua fome é visível
você me abraça forte
seu desejo é previsível
algo nunca sentido antes
quando estamos juntos nos perdemos
nos amamos
depois de todo o frenesi
depois de todo o clímax
depois de matar nossa sede
nos encontramos
nos abraçamos
e adormecemos como dois corações
como uma alma só...

Sônia PC

Janeiro

Engraçado que o nome dele é
E tudo começou em Janeiro
Hoje é mês Junho
Depois Julho
E ainda o pensamento é dele.

Somos um "caso",
Que por "a caso"
Existe sentimento.

Não sente quem sente "mais"
Não sei quem sente o "mesmo"

Talvez não é nada
E sim
Uma ilusão do meu disfarce
Chamado "tempo".

Ele é doce e correto
Com aqueles olhos bons e bonitos
Diferente e interessante

Música nossa















Toda vez que toca aquela canção
que para mim você cantava
vira tamborim meu coração,
grita em algazarra...

Lembro de você toda vez
que escuto nossa canção,
a canção que moveu nosso romances...
A cantiga que dizia o que sentíamos...

Hoje o amor acabou, ou dizemos que
acabou, nem tudo que falamos é verdade...
Já me provou os gritos do meu coração...

Mas mesmo com a distancia,
aquela canção romântica que escuta vamos
nos nossos ouvidos, ainda é a sinfonia
do meu peito a querê-la.

Noturno


Peguei o papel,
— Sim, ele, o único que me entende,
Me ouve e me respeita,
O único que me invade as entranhas
E que me usa —.
Sou influenciado por ele.
Derrubei-lhe a caneta...
Borrões de tinta surgiam
aos montes.
Mas preferia chamar aquilo,
Aqueles borrões de tinta,
De letras.

Lembrava-me de ti,
Outra vez — como sempre —...
Mais outra vez!
Risquei-te e desenhei-te em meio às palavras...
Fotografei-te linda
— como és —
E apaixonada por mim
— como... bom... não posso dizer sobre isso —,
Mas descrevi-te lindamente ao papel...
Ele me parabenizou:
— Uma mulher linda que te ama... quanta sorte!
Dialoguei com ele até às quatro da manhã.
Foi bom... libertador!

O que disse sobre você
é estupendo — em modéstia parte —.

(...) "E quando a vi, andando na minha direção,
Estremeci-me e petrifiquei-me...
Nunca vi tamanha beleza assim.
Ela então me disse com sua doce voz:
— Chama-me de tua mais uma vez
e usa-me em favor de nós dois.

Levei-a para minha casa
— antes nossa —
E deitei-a na cama.
Despi-a lentamente enquanto a beijava.
Lambia seu umbigo e deliciava-me em teu ser.
Nunca senti algo assim...
Já amei outras vezes
— com ela, inclusive —,
Mas cheguei ao orgasmo até antes de gozar...
Antes até de tirar minha calça.

Agarrava-a tenazmente a mim.
Meu peito repleto de pelos
colidiam com seus delicados seios.
Meu pênis encontrava-se com sua bocetinha
e voltava...
Continuamos no mesmo ritual até que meu pênis
regurgitou prazer líquido... e era branco.
Ela gemia com sua voz fina e delicada
E eu gritava grosseiramente:
— Mais um orgasmo... Santa Maria Madalena!

Pois é...
Até hoje
Lembro-me de tudo.
Até de quando se deitou em meu peito,
Suspirou bem fundo
e sussurrou:
— Como é bom te amar!

Lembro-me com uma tristeza infinda,
Pois, com essa lembrança prazerosa,
Sou obrigado a recordar também
Que ela está fazendo e falando o mesmo agora,
Porém, com outro homem." (...)

Depois de ouvir tudo isso,
O papel chorou...
A caneta, que também estava ouvindo,
também foi aos prantos.
— Uma história de amor como essa
não é pra qualquer um...
Tem que ser muito forte! — disse eu, despedindo-me
dos meus ouvintes.

Simon-Poeta

Metamorfose


Por que todos os dias as coisas mudam?
Se antes, ficassem intactas ao menos um segundo...
Mas toda hora, tudo muda.
E se não muda não é nada.
Nada no mundo nem nos céus,
Nada no mar e nem na terra,
Nem nos sonhos e nem na realidade,
Nem no concreto, muito menos no abstrato,
Nada na imaginação nem nos atos,
Nos encontros, quiçá os desencontros?
Nada. Nada no nada.
A soma mais completa e mais imensa das coisas
— Aquela que é infinita —
É quando se adiciona o nada a fazer ao nada a declarar.

Quando não se tem o que fazer,
Com certeza estamos fazendo algo,
E quando não se tem o que declarar,
Com certeza pensa-se em coisas que não se pode dizer.
Isso é bom para a humanidade.
É bom para a intelectualidade.
Quando se pensa, exerce-se partes indecifráveis do cérebro,
Que, com a ideologia
São descobertas pelo homem e pelo deus,
Pelo santo e pelo pecador,
Enfim...
Por tudo e por todos que existem ou não.

Ficar consigo mesmo não é ficar sem nada para fazer.
É pensar,
É criar...
É viver.

Se todos ficassem mais tempo consigo mesmos
O mundo seria mais racional.
Então, prefiro ficar sem fazer nada
Não declarando nada
À viver na ignorância proposta pela sociedade.
Mudar de opinião não é covardia,
É abrir-se para novos conceitos.

Eu mudo de opinião pois penso.
E às vezes penso: "Por que sempre estou mudando de opinião?"


Borba Figueiras — heterônimo de Simon-Poeta

Maus tratos amorosos

"Se fores quem eu penso, és lindo;
Se não fores, ama-me de verdade."

— Simon-Poeta

No meio do caminho (nova versão)


No meio do caminho tinha uma caneta
Tinha uma caneta no meio do caminho
Tinha uma caneta
No meio do caminho tinha uma caneta.

Peguei-a e debrucei-me no papel
Lá mesmo, no meio do caminho
Comecei a escrever no meio do caminho.
Minha poesia jamais se esquecerá deste evento tão repentino.
Um poema abstrato ali nasceu,
No meio do caminho tinha uma caneta.
Peguei-a e devolvi em poesia.

José Álvares — heterônimo de Simon-Poeta

Sentimentos: o amor é sadomasoquista


Eu sei bem o que pensas.
Mas pra ser sincero, às vezes penso que sabes pouco acerca de mim;
Não sei se estou certo,
Bem, nem sei o que sinto por você lá no fundo...
Eu sei que gostas do meu beijo,
Do meu corpo,
Do meu ser.
Sei também que o meu ser
Não é somente o que você pensa:
Existem labirintos,
Corredores...
Portas e janelas ocultas que jamais foram descobertas por homem algum.
Sou muito mais que o menos que estás acostumado a dizer que ama.

Sou amor,
Sim, sou ele mesmo.
Sou eu.
....................................................................................

É tão diferente o que sinto por você.
Sério...
Às vezes me pego te amando,
Outrora, te odeio.
É complicado sentir, não é?
....................................................................................

Não sei se és quem eu penso,
Mas penso que és, como eu, diferente.
É verdade. És, de fato, diferente.

Ainda és leigo no amor...
Sinto isso.
Mas o amor é leigo;
Até hoje não conheço alguém que não tenha levado pancadas amorosas.
Não conheço, de fato.
O amor é pra ser sofrido.
Sim, parece meio sadomasoquista,
Mas na verdade é.
O amor é sadomasoquista.
Abusa do poder que tem
—abusa até de mais—
E se faz de coitado depois.
Bate, maltrata, corrói
o coração de quem ama
ou ao menos pretende amar...

É, o amor é mesmo complicado...

Mas, mais complicado que o amor, são os sentimentos,
Acho que é por isso que chamam o amor de sentimento...
Êh, coisinha complicada...
Às vezes me pergunto:
—Por que é que não somos robôs?
Ouve-me calado
e sai sem direção.
Acho que você pensou que não te amo...
Mas te amo sim;
No fundo, no fundo,
Ou até no mais raso do meu ser
Meu amor por ti é perceptível,
Só você não vê.

Simon-Poeta

Corrosão da humanidade

"Às vezes eu penso no que o mundo foi e me chamam de louco.
Imagina se soubessem que eu penso o que o mundo será..."

— Borba Figueiras — heterônimo de Simon-Poeta

Vontade...

"Vontade: o que não falta nos homens sem coragem."

— Simon-Poeta

Vida versus Tempo

"A morte é a consequência do tempo."

Simon-Poeta

Soneto avesso


O mundo está doido!
Prestem atenção:
O mundo está doido!

Buzinas, brigas, mortes,
Escândalos, vândalos, azares,
Sortes... enfim...

O mundo está doido!
Os humanos que constituem sua raça inútil,
Colocaram o mundo ao avesso,
Ao avesso como esse soneto... ao avesso, como o que digo.

O mundo está doido!
Está virado de pernas para o ar.
Se segurem e respirem fundo, se é que sabem respirar...
O mundo está doido!

Simon-Poeta

Dueto

Eu, só... sou inutilmente só.
Enquanto todos bebem e cantam e festejam a páscoa
De um qualquer que voltou à vida,
Continuo só...
Não trazem para si a mensagem que diz
Que o amor é mais importante.
Apedrejam-me sempre.
Apedrejam-me muito...
Enquanto os meus versos me contradizem,
Dizendo a verdade
Que não sou capaz de proferir.

Tudo, mesmo as cores dantes
coloridas e alegres
tornaram-se feias aquarelas
pintadas de negro e com
cheiro de necrochorume...
As rosas que antes me pareciam
grandiosas hoje possuem rostos
vultuosos cheios de marca de tempo
e choro nas faces...
Como doí meu peito que clama
com o ultimo suspiro preso
pela morte...

Mas nenhum humano me aparece nesse momento;
São todos superiores a mim.
Nenhum vê seus erros,
Mas percebe, critica e julga os acertos dos outros.
Se erro por ser eu mesmo,
Acerto por não ser outra pessoa.
Mas, nessa hora,
Não chega sequer uma pessoa que me console dizendo-me que é humana
Nenhuma que mostre suas feridas
E prove tua dor...
Pois uma espada transpassa o ser
Quando outra pessoa se declara errada.
É praticamente impossível alguém ver seus próprios erros,
E quando chega na glória de sua humanidade,
Quando vê os erros que cometeu,
É totalmente impossível assumir-se que errou.
Totalmente impossível com todos os 'Is' que puderes imaginar...
É IMPOSSÍVEL.
E este impossível,
Faz minha dor ser concreta.
Já não bastava ser abstrata...
Era necessário que se tornasse concreta.
"A vida não é lá essas coisas."
Ah, me chamam de louco quando digo isso.

O mundo me fechou as portas
as janelas que dantes sorriam abertas
e bebericavam um punhado de luz
foram fechadas...
Paredes entre eu e a felicidade foram
erguidas. Todo o sorriso foi pela tristeza mortal
d'alma foram engolidos. Meus amigos dantes
vivo, hoje jazem no gelo mortal da terra
que não diz nada.
As mazelas da vida me atingiram...
Que posso fazer, a não ser desejar
"Morte, como o que resta da carne!"

Minha vida não tem mais sentido...
Como nunca teve.
Para que viver?
Para que sofrer nesse mundo onde todos são santos
E os verdadeiros são devedores?
Eu e a poesia
Topamos um dueto.
Entrego-a sua espada
(As palavras)
E pego a minha
(A caneta)...
No papel,
Dou ataques graves;
As palavras são pesadas.
Numa luta toda amorosa e humanamente abstrata,
A poesia me mata...
Me mata de desgosto.
Morri pela espada da poesia:
Eis aí a prova de que palavras são fatais.

Agora clama minha alma pelas lamas
do fim... Vou eu deitar-me com os ossos de
meus pais. Poderei enfim ouvir o escárnio
do demônio que vive nas sombras,
a única companhia que quero pela eternidade.
Só clamo que nessa negra vida nunca tive
amor correspondido, mas isso não impedirá
a faca que lamberá o ultimo sangue pulsante
que escorrerá do meu pescoço.
Que me aguarde o fogo do inferno,
onde terei companhias mais felizes e mais quentes
do que aos falsos rostos humanos.
"Aguardo-te sombra que come sombra,
morte canibal..."
O fim será meu consolo, será o último público
do meu sorriso de Pierrot. Morra Colombina,
o mesmo inferno aguarda a ti e ao Arlequim.
Adeus...


Borba Figueiras (heterônimo de Simon-Poeta) e Josué D'Brytto

Prisão

Pare de me olhar!
Pare!...
Não faço nada de mais para que viva a espionar-me.
Mesmo se fizesse, não deveria me reparar...

Reparas minha barba... sem fazer;
Reparas meus cabelos... brancos;
Reparas meu jeito... de andar;
Reparas minha posição... política.
Isso não é educado.
PARE DE ME OBSERVAR!

Que desastre fiz eu à sua barba?
Que maçada causei aos seus fios de cabelo branco?
Que tragédia propus ao seu jeito de andar?
Que manifesto negativo fiz eu à sua posição política?
Sou educado.
Além do mais,
NÃO TENHO TEMPO PARA OBSERVÁ-LO.

PARE DE ME OLHAR!

Isso me atazana...
Me atordoa.
Ah! O que fiz para merecer tamanho castigo?
O que faço de diferente para que vivas a espionar minha vida?

Dá-me a palavra-chave para que possas desistir de me atordoar.
Dá-me, por amor de Deus, uma oportunidade de fugir...
Fugir para longe de ti e dos seus descendentes.
Ah! Não mereço isso...
Não mereço ser observado feito uma celebridade.
Quero fugir!
Quero ser livre como um pássaro...
E voar!
Voar sem saber onde ir
E sem ter ninguém para fotografar-me,
A não ser os observadores de aves
(Que só quereriam meu bem).

Não aguento mais.
Sei que sou louco,
Mas isso não é motivo para que vivas a espionar o que faço de "errado".

As coisas boas, ignoras...
O que há de "ruim", comentas e criticas.

Vá para o inferno...
Deixe-me voar!
Irei para o céu.

Não o céu que crês,
Mas para o céu material,
Que todos veem.
O céu com nuvens brancas
Postas por cima de um azul cintilante.
E que quando anoitece, fica escuro e carrega em teu leito, a Lua
E em teu lençol as estrelas.

Solta-me da gaiola que propõe-me.
Solta-me desta vida inútil que levo...
Sou preso, e não vejo.
Sou cego e não digo nada a meu favor.

Agora, enxergo e manifesto minha opinião...
Minha ordem.
Pelo enxergar, conquistarei a liberdade...
Enquanto não deixar-me sair daqui,
Atazanarei-te, olhando e observando-te.
Fotografando cada passo teu.

Veremos então quer ficará preso...

Borba Figueiras - heterônimo de Simon-Poeta

Pedaço de Vida


É... bem que me lembro
Como se fosse ontem.
Bem que me lembro
Como se fosse hoje...

Bem que recordo:
Voltastes ao tempo;
Não levaste-me contigo.
Bem que me lembro; esqueceu-me.

Me esqueci das lembranças
Como tu me esquecestes outrora.
Entristeço-me ao saber qu'inda existem pessoas assim,
Que se esquecem de lembrar suas promessas.
...............................................................................

É... bem que me esqueço
Como se fosse hoje.
Bem que me esqueço
Como se fosse ontem...
...............................................................................

É tão ruim lembrar-se do que não existiu
E esquecer-se do que não houve.
É como colocar a mão no fogo por alguém
Sem haver fogueira alguma.

É o mesmo que beijar a mulher amada
Se ela não existe;
E se existir,
Não ter lábios.

É tão ruim quanto acordar, olhar para o espelho
E descobrir que está morto.
É ruim...
É intenso.

Dizem-me todos:
"Ama tua vida, rapaz.
Não sabes o que pensas...
Nem sequer sabes pensar."
...............................................................................

Respondem-me mal e atiram-me pedras:
"Ama o teu mundo, ó, rapaz.
Não sabes o que amas...
Nem sequer sabes amar."

Eu amo o mundo...
Repito, para que possa entender meu pensamento:
Eu amo o MUNDO.
A desgraçada raça humana, não!

O humano que mata,
Que destrói,
Que queima e inunda
E mata o mundo.

Meu pedaço de tempo,
Na pequena largura de minha vida,
Não é o suficiente
Para que eu encontre tamanho esplendor que encontram nos homens.

Não sei se sei viver...
Só sei que sei amar:
Amo o MUNDO.
Os homens, ainda não aprendi.
...............................................................................

— É tão ruim viver sem rumo ou direção...
"É ruim,
Mas é vida.
Valorize-a."

José Álvares — heterônimo de Simon-Poeta

Soul & Swing

Só um charuto;
Depois desse, mais sete.
Ainda ouço jazz...

José Álvares - heterônimo de Simon-Poeta

domingo, 29 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada




me abraça apertado
me beija com vontade
me agarra com gosto
me joga na cama
arranca minha roupa
me possui com toda a sua fome
invada minha alma
dilacera meu corpo
sou toda sua
me use
abuse
me faça de sua
mate minha sede
apague meu fogo
na loucura mais intima
me faça sua mulher.....



Sônia PC

Saudosismo

Estou cheio de saudades,
saudades do que existe
e do que desapareceu...

Estou vivendo de passado
de caixas retalho,
vivo como as traças
nas velhas gavetas
e nas poeiras das estantes...

Nem sei como vivo,
se o hoje já não me interessa,
só ilumina meus olhos o passado
e o resto que ainda
lhe resta...

sábado, 28 de junho de 2014

Mulheres daquele tempo













As mulheres de antigamente, 
eram bem diferentes, não se doavam tão fácil,
suas paixões eram verdadeiras, 
as juras sinceras e pensavam melhor 
no amor...

As de hoje, pobre mulheres, 
defronte ao oiro que as perseguem 
doam-se por ferro pintado
sem valor...

Prendem-se mulheres as aparências, 
diferente daquele tempo 
onde o valor tinha valor...

Hoje até mesmo o pobre seresteiro 
defronte ao desprezo da espécie 
ele tristemente se calou...

Ai que saudade, do tempo em que 
havia sinceridade no amor... 
as mulheres se cobriam 
não eram alegorias, eram de oiro,
mas tudo se acabou!

Seresta

Vou fazer a sua beleza
uma seresta, 
uma seresta como aquela 
que faria nosso avós...

Vou lhe fazer uma seresta,
não sei se em ritmo de tango,
valsa ou bolero, mas será 
uma seresta magnifica...

Vou lhe encobrir em minha música
de um vestido vermelho, 
tão rubro quanto o sangue 
que move meu coração...

Vou lhe fazer uma seresta
com tudo que quer gritar
a voz do meu louco 
e insano coração...

Sonhadora Apaixonada




vou abraçar seu corpo nu
vou me perder nas suas carícias
vou me permitir q saboreie meu mel
vou cair na tentação desse seu corpo perfeito
minha boca sedenta anseia pela sua
meu corpo carente deseja o seu
minha boca espera pela sua
nossos corpos juntos são belos e notáveis
nossas fantasias que só nós sabemos e sentimos
vou me deixar usar e ser abusada
pelas suas mãos suaves q me tiram do chão
então na mais perfeita harmonia
me entregar a esse devaneio louco
me perder nesse desejo insano
onde corpo e alma se fundem em uma só pessoa
onde não existe certo ou errado
apenas dois corações que se querem......




Sônia PC

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada




sorrisos
beijos
bocas
mãos
pegadas
juntos
loucura
desejo
tesão
paixão
todas as horas
sentimentos
sexo
prazer
magia
eu e você
juntos
todas as horas
todos os dias
todos os minutos
que pudermos aproveitar
assim somos nós....




Sônia PC

Amor errado


Meu bem,
Eu sei o que fazes.
Meu bem,
Serão eficazes
As minhas palavras
Direcionadas a ti
Por esta carta.

Meu bem,
Eu peço perdão
Por ter destruído sua vida,
Mas a gente não escolhe
Com quem se lida
Ou vai amar.

Amor,
Eu sei que fui só confusão
No seu coração,
Me perdoe por te amar assim,
Pensei que gostavas de mim,
Mas agora,
Somente agora,
Percebi que só estava atrapalhando
O seu amor
Com aquela mulher.

Meu bem,
Eu sei que não sou capaz
De viver sem você,
Meu bem,
Traz-me pra perto
Dos meus sentimentos.

Meu bem,
Lamento por ter estragado
Sua vida de homem amado,
Saiba que esta não foi a intenção.

Quando a gente ama
A gente não tem direito de escolher,
Vai com alguém para a cama
E se esquece o porquê.
Quando te vi pensei
Que eras o bem para mim,
Mas, meu bem, me enganei,
Você é meu ruim.

Meu ruim,
Me perdoe
Por eu ter te prendido a mim,
Me perdoe,
Por ter te seduzido assim,
Me perdoe,
Por você não conseguir
Viver longe do meu amor.

Eu só faço besteiras na vida,
Uma delas foi você,
Eu não sei viver sem seu carinho,
Volte pra sua casa,
Então hei de aprender.

Simon-Poeta

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada




seu olhar me fascina
um encanto que não resisto
penso em você
e me vem a sensação
da sua presença
sinto sua respiração ofegante
sinto eu toque na minha pele
ouço seus gemidos
isso me deixa em transe
viajo nos meus pensamentos
imaginando nós dois
numa loucura íntima
onde só nós sabemos
onde nos entendemos
nossos corpos suados
um brilho no olhar
corações batendo acelerados
palavras ditas com os olhos
saudades que matamos com nossas bocas
desejos extravasados
dias de tesão
noites de sonhos
e horas de prazer....




Sônia PC

Meu amor

Quero beijar teu rosto,
sentir a leveza de teus cabelos,
quero passear pelo teu corpo,
brincar com tua mão
em meu peito...
Quero viver dias só com você...

Quero distrair-me enquanto ouço
sua voz, viajar por horizontes
enquanto sinto o beijo teu...

Quero sorrir vendo teu sorriso,
quero vê-te feliz só por eu estar
comigo, eu sei eu estarei feliz
por viver contigo... eu estarei.

Gostaria também meu amor
de que juntos esquecermos
o resto, e que nós
vivêssemos só
apenas nós dois... amor...

Quero que sonhemos
realidade que esqueçamos
o que não é verdade e que só
tenha conosco, o que faz bem
a nós dois... a nós, amor...
apenas a nós dois.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Encanto

Encantou-me com um feitiço
que se chama beleza,
mas não me prendeu a ti
esse acessório,
o que me faz amar-te
é a tua grandeza.

Sonhadora Apaixonada



nos seus braços me perco
na sua boca viajo
no seu corpo deliro
no seu sorriso desarmo
juntos nada nos abala

sentimentos mútuos
desejos insanos
tesão cortante
uma vida com você
nada é perfeito
mas tudo verdadeiro
viajamos juntos
nesse prazer
chegamos ao clímax
as horas são curtas p nós
os dias separados são longos
mas o amor
esse cada dia mais presente.....

Sônia PC

Sonhadora Apaixonada




uma mistura explosiva
um desejo insano
um tesão enlouquecedor
corações batendo a mil
corpos suados e colados
bocas que se tocam
mãos que acariciam
abraços que apertam
olhos que falam
sentimentos obsessivos
fantasias loucas
pensamentos eloquentes
sonhos a realizar
toda essa mistura
formam eu e você
toda essa loucura
tudo isso por dizer
que eu amo você......



Sônia PC

Belas palavras

O verdadeiro poema...
aquele que de verdade é uma poesia,
não é lido, todos os que são lidos
são apenas literatura...

Não que os verdadeiros poemas
não possam ser lidos,
eles podem... mas há algo mais
nos verdadeiros poemas.

Os verdadeiros poemas
são vividos, os poemas
verdadeiros são narrados pelas
almas que padecem...

Os poemas que falam a alma,
esses sim são poemas
os outros em que apenas a razão fala,
esses são literatura.

Mas os grandes poemas,
esses sim escritos por poucos,
leem os olhos e alma,
encantados a cada verso novo.

O seu olhar

Sim, foi seu olhar,
seu jeito de ser, seu jeito
terno de amar,
seu sorriso inebriante
é você meu paraíso.

Sim, foi o jeito doce
de ser, a doçura
da beleza de vê-la
sorrir, que
conquistou-me.

Foi o seu olhar
que inebriou ao meu,
tornou-me seu súdito,
tudo depois parece...
menos colorido.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Verdades

Não importa se achas que é
verdade o que diz tua boca,
as únicas verdades verdadeiras
não conhece a fala,
só conhece o coração...

Partitura

Tu és minha canção, amor,
o motivo de cantar,
és meu carnaval,
alegoria e vontade de bailar...

És meu sorriso pela manhã,
o sonho que estou a desenhar,
és tu o sorriso que surge nos
meus lábios...

És tudo e algo mais,
és tu que me faz feliz,
me faz amar...

És meu acorde,
quero-te, oh musa, em minha
partitura...

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada



existe algo entre nós que ninguém sabe
um mistério nos ronda
um feitiço enlouquecedor
um tesão delirante
um desejo fanático

nossos corpos juntos
um ritual de beleza e magia
sentimentos a flor da pele
corações acelerados
mentes a mil
um fogo que nos consome
nossa loucura insana 
não temos limites
nos amamos
nos queremos
ultrapassamos todas as barreiras
entre a realidade
entre o sonho
entre a magia
onde nos entregamos
e esquecemos quem somos...

Sônia PC

Não consigo esquecer-te

Não consigo esquecer-te
já tentei olvidar,
mas as lembranças
e anseios insistem
em me machucar...

Como posso esquecer
se toda a tua boca
volta a minha memória
sinto como se teus olhos
estivessem a me procurar...

Como posso eu olvidar
se já não posso mais
negar que só penso
em ti, a toda  hora.

domingo, 22 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada




um encanto
uma fantasia
um sonho
um desejo
um tesão
um abraço
uma loucura
uma fantasia
todas elas se misturam e formam a nossa história
uma mistura de passado, presente e futuro
nossas vidas se encontraram
nossos desejos se juntaram
nossos corpos se uniram
e nessa mistura de fantasia
sonhos e realidades
o amor falou mais alto....


Sônia PC

Ao seu som

Ao som do seu caminhar,
quero bailar,
ao som do seu viver,
quero respirar...

Ao som da sua graça,
quero me deliciar,
ao som do seu passo,
quero dançar...

Ao som do seu coração
quero ser compasso,
o som da sua pele
quero que seja minha mão...

O som da paixão,
quero ser na sua vida,
o som do amor,
que mova seus dias...

sábado, 21 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada




nos seus braços quero me encontrar
no seu corpo quero me perder
na sua boca quero matar minha sede
no seu amor quero viver eternamente
na sua vida quero permanecer
no seu futuro quero ser sua
na sua cama matar nossas vontades
no seu desejo te possuir inteiro
juntos estamos
juntos ficaremos
mesmo na distância
nossos corações estão sempre unidos....



Sônia PC

Levaram o sol

O que vou fazer...
surgiu um prédio e tampou
meu sol...
já são triste os meus dias,
mas tinha o sol...
e agora?

Sem pedir permissão
levaram meu sol,
chegaram ontem
e hoje levaram o sol...

O sol meu único companheiro...
com seus raios conseguia eu
imaginar teu rosto e não
me sentia tão só...
mas agora levaram meu sol...

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada





seu abraço me conforta
seu carinho me acalma
sua boca me deixa doida
seu calor me aquece a alma
seu cheiro me deixa inebriada de desejos
seu toque me faz levitar
quando me agarra é com você que quero estar
quando me ama sei que é você que eu quero
nossas loucuras só a nós pertence
nosso tesão ultrapassa todos os limites
depois de todo o frenesi
acabamos abraçados
apenas nos olhando
no nosso silêncio
dizemos mil coisas
mesmo quando não dizemos nada.....




Sônia PC

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Eu sabia



Eu sabia que no fundo
você me amava,
mesmo quando negava
os seus olhos já diziam...

Eu sabia que você
sempre foi minha,
que por mais que fugia
queria na verdade se aproximar...

Eu sabia a verdade
que não me dizia,
eu sabia era mentira
o que seus lábios falavam...

Eu sabia muito antes
de você saber, o que
o coração diz não se mente
e não se contradiz...

Eu sabia...
inda bem que você
soube, não deixou-me ir longe,
veio logo a me amar...

Sonhadora Apaixonada




sentimentos perversos
vontades insanas
desejos quentes
corações ardentes
bocas sedentas

pele em chamas
mistura incandescente
somos assim
eu e você
na mais pura loucura
no melhor dos desejos
nas fantasias mais profanas
é assim que somos
eu e você
e nossos sonhos...

Sônia PC

Sonhadora Apaixonada


quero colo
quero carinho
quero beijo
quero abraço apertado
quero chamego
quero sentir tesão
quero sentir prazer
quero ser amada
quero ser única
quero amor
quero tudo e mais um pouco
mas tudo o q quero
se resume em única palavra.....
VOCÊ.....

Sônia PC

Sonhadora Apaixonada





somos perfeitos juntos
somos nada separados
somos loucos juntos
somos insanos separados
nos amamos juntos
mas longe sofremos
temos tesão juntos
mas a distância nos impede de fazer mais
nossos corpos são lindos juntos
mas longe estão mortos
nossos sentimentos são como fogo juntos
mas longe a saudade nos mata
desejamos muito
queremos tanto
nos amamos feito loucos
nosso tesão é perfeito
juntos somos tudo
longe não somos nada
corações acelerados
beijos ardentes
nossa união é simples
mas nosso amor é tudo.....




Sônia PC

Poesia de um Boêmio

Em homenagem a Chico Buarque de Hollanda 

Nas minhas noites frias, vazias
com luas que não faziam sentido...
não calava a vitrola, a música 
era o único consolo...

Nos meus dias de alegria, sorridentes

e regados a vinho...
não calava a vitrola, era a música
o companheiro colosso...

Em todos os dias de carnaval, alegres

e claros ou nos dias tristes, lúgubres
e escuros era meu fulgurante homizio...

A sua música, tocada pela vitrola velha,

sempre foi uma trilha pedida, 
em tristezas em romances estava lá... 



quarta-feira, 18 de junho de 2014

Ilusão






















Ilusão, por que afliges meu coração
Que só agora começou amar,
Nem sequer chegou a
Sonhar...  E já vive na ilusão...

Ilusão, triste fim de uma paixão
Que só nem começou,
No mar das utopias quimera                            
Já naufragou... Na ilusão...

Quiçá no peito do sofredor
De ilusão, no meio de tanta dor
No coração, há ainda espaço
Para acabar...

Uma triste história que no fim
Começou por terminar,
Nem se quer chegou a encontrar
O verdadeiro amor...

Ilusão por que feriste pobre
Coração, não tiveste a piedade
De quem amor, acabara de
Conhecer...

No entardecer muito há de findar
E no fim a solidão reinar
Com a ilusão que acabou
De sonhar.

Meu bem...

Meu bem, por mais que vá
a se perder nos caminhos desse mundo,
por mais que nem do meu nome tu
recordes, meu bem...

Saiba meu bem que te amarei
no Jobim que escutava todas
as tardes, ou nos odes que compus
meu bem te amei...

Mesmo que nunca mais nossas
esquinas se encontrem e que
as reminiscências lhe deixem
a emente, saiba meu bem que te amei...

Poema belo

O mais belo dos poemas
que criei...
foi o que não escrevi.

O mais belo dos poemas
que criei...
foi aquele que já existia.

O mais belo dos poemas
que criei...
foi quando lhe vi.

O mais belo dos poemas
que criei...
foi aquele que vivi.

O melhor poema
não foi escrito a letras,
foi eternizado com um olhar.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Minha dor


Por que insisto tanto
em chorar,
por que não posso 
olvidar...

Por que meu coração 
é lugar de tristeza, 
por que não pode a boa
emoção dominar...

Por que você não pode
me amar, 
por que não pode a vida 
me recompensar...

Por que chora igual 
bandolim por amor...
por que o lugares bons 
acabam em dor... Por quê?

Meu destino parece 
ser a dor... 
não vejo no futuro cinzento
nenhuma cor... Por quê?

domingo, 15 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada




vou abraçar o mundo
vou aguardar o futuro
vou viver a vida
vou amar
vou sentir prazer
vou beijar muito
vou comemorar
vou esquecer as mágoas
vou viver o presente
vou acreditar na vida
vou fazer amor
vou ser feliz
a vida me espera
Deus olha por mim
mas algo que anseio e muito
é ter você comigo....


Sônia PC

Fim de tarde

Chega o fim da tarde
só quero um braço para me
abraçar... só desejo que tenha
em sua boca um beijo...
Anseio que você tenha um
jeito de me afagar...

Só quero que você venha
aquecer minhas noites, só quero
que você venha beijar-me...
quero sentir com você os sorrisos
das noites que passei a sonhar...

Chega o fim da tarde
você e eu é o que estou a pedir...
que tenhamos uma bela noite,
cheia de alegoria, romance
e carnaval...

Soneto matinal


Acordei deitada em teu peito...
Meu bem, me deleito
no teu ser...
A manhã é noite escura sem você.

Nosso café está à espera:
—Por que não levantas de uma vez?
A cortina pelo sol amarela,
Traz a preguiça que um dia te fez.

—Ah, pra que levantar?
Vamos —como ontem— agora nos amar,
E começará tudo outra vez...

O dia vira noite...
Nosso amor, tolinho,
É tão contente quanto nós dois...


Abigail Balbina — heterônimo de Simon-Poeta

Vou amar

Vou amá-la
enquanto haja suspiro,
tentarei levá-la
todo dia ao paraíso...

Cada dia comigo
não será apenas mais
um. Todo dia farei
novo só para vê-la
sorrir...

Todos os meus sonhos
serão sonhar os sonhos
seus, não quero mais nada
fazer a não ser estar
nos braços seus...

Só sei enfim
que vou amar...
vou amar... e sempre
vou amar...

sábado, 14 de junho de 2014

Sonhadora Apaixonada



noite estrelada
céu escuro
a lua linda
noite perfeita
eu e você

nosso quarto na penumbra
nossa cama desarrumada
nossas roupas pelo chão
sinal de nosso amor
nossos suspiros ao pé do ouvido
sua voz rouca dizendo que me ama
sua respiração ofegante
nosso tesão á flor da pele
perdemos o juízo juntos
chegamos ao clímax juntos
nos amamos como dois lobos famintos
nos perdemos nessa mistura insana
cheia de desejos
cheia de amor

Sônia PC