sábado, 19 de abril de 2014

Poesia


01
Imagino-te nua
No meio da rua
Vem-me a tocar
Oh, poesia,
Tua pele morena
Sua boca pequena
Eu quero beijar.

02
Entra em meu ser
Usa-me como usa os poetas teus
Faça de mim um plebeu...
Um boêmio a ladras
Pelas ruas da cidade
Cantando versos e prozas
Em seu amor...
E por ele, de alegria gozar.

03
Oh, poesia
Toma-me em teu colo
Proteja-me com tua alma astuta
Como pode assim, tão puta
Homens e mulheres convencer
Que não vivem sem você?

04
Oh, majestade, minha rainha
O que será dos pobres sofredores
Que agonizam e sofrem
Sem o consolo dos poetas
Que passam pelos poemas
Uma dor maior?

05
Poesia,
Razão de vida
Pra todos os seres.
Quando o mundo nasceu
Quem fez foi você
Deu espaço às divindades
E aos mundanos também...
Oh, poesia
Te sirvo noite e dia
Faz-me teu refém.

06
Quando o mundo acabar
Você, aqui continuará
E alegrará o espaço
Que mesmo sem pernas nem braços
Também irá escrever
Tudo aquilo que sente por você.

07
A outra parte deste poema
Deixo encarregada a outro poeta
Pois, já não tenho mais vitalidade
Nem inspiração pra ser atleta
Com letras maiúsculas e minúsculas...
Sou um ser que não se alerta
Àquilo que gosta
Mas vive o que precisa.

08
Oh, poesia
Esta é minha euforia
De ser um eterno poeta.

Simon-Poeta

Sua Opinião:

0 comentários:

Enviar um comentário