sábado, 15 de março de 2014

Irmã Pecadora


Se faz de beata
Mas não vale uma prata
Do que prega e diz
Finge de santa
Mas é uma anta
E não sabe ser feliz
Literalmente, a sua mente
Voa
Perdoa quem lhe disse
Que não existe
Alguém como sua pessoa

De qualquer jeito
Foi um defeito
Ter feito o que fez
Mas é uma deusa
E faria tudo
Outra vez

Ela é uma louca
Sua boca
Me invade
Ela é de mim o inteiro
E sou minha metade
Pois ela quem manda
Na minha propaganda
De um santo frade
E eu mando nela
Uma Irmã tão bela
Que se faz de santa

Mas na verdade
É pecadora
Quando me faz juras
No escuro quando inseguro
Ouço suas murmuras

Ela é minha deusa
Ela é minha louca
Que me morde a boca
Quando saio apressado
Ao trabalho dobrado
Ela fica rouca
De tanto gritar
De tanto cantar
De saudades de mim
Ela é assim
Meio certa e louca
Mas gosta de mim

Eu sou o seu santo
Enxugo seu pranto
Quando precisa
Ela é minha vida
É minha menina
Minha doce querida

Não vivo sem ela
Mas mesmo assim
É tão singela
A ponto de acharem
Que ela é covarde
E que não é bela
Mas sua beleza
(Eu tenho certeza)
Está na passarela
Do interior
No grande amor
Que sinto por ela

Simon-Poeta

Sua Opinião:

0 comentários:

Enviar um comentário