sábado, 11 de janeiro de 2014

Quando Duas Bocas se Tocam


Quando duas bocas se tocam,
A emoção fala mais alto,
O amor irreligioso, vira um santo arauto,
Onde duas bocas se beijam, toda saudade enforcam.

Quando duas bocas se beijam,
Abrem-se portais de luz,
Que diz onde o amor conduz,
As condições de serem dois, se deixam...

Quando duas bocas se beijam,
E se largam, infames,
Se esquece que quem quer que se ame,
Viva de um modo que se deixam.

Quando duas bocas se beijam,
O desejo murmura,
A vida da espaço a ternura,
E as vidas abandonadas festejam.

Quando duas bocas se tocam;
Quando duas bocas se beijam;
Quando duas bocas se enforcam,
Essas duas portas,
Se abrem,
E um segundo depois,
Se fecham,
Dizendo que não mais podem viver juntas...

ESSE É O FIM DE UM BEIJO INFINITO!

Simon-Poeta




Sua Opinião:

0 comentários:

Enviar um comentário