quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Soneto de Paixão


Quero interrogar-lhe...
Quero lhe dizer,
Devo lhe usar...
Preciso lhe ter.

Sempre nas vilas,
Nas vidas deixadas,
Então estragadas,
Serão as memórias...

Tão doces,
Tão amargas,
Quão fúteis são...

Mas o coração,
Ouvirá o desejo que há entre nós,
E deixará aqui, suas marcas...

Simon-Poeta

Sua Opinião:

0 comentários:

Enviar um comentário