sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Meu Primeiro Dia de Vida

    
   Fortes dores sentia mamãe, mas não tinha ninguém em casa; tanto lutou para prender-me dentro de teu ventre. Chegou então do trabalho, papai, que por ironia do destino o carro lhe roubaram. Mamãe já não mais aguentava pois as dores não cessavam: dando um forte grito de lá do quarto chamou a atenção de papai (que estava na cozinha). Então ele foi correndo até o quarto, desesperado e ao mesmo tempo aflito pois foi roubado de algo tão preciso (o carro); chegando no quarto viu que mamãe já estava em trabalho de parto e que precisava ser socorrida o mais rápido possível, pegou-a então no colo e  foi até ao ponto de táxi mais próximo. Ninguém queria parar para levar uma mulher toda ensanguentada nem para um hospital que seja. Mas até que enfim chegou uma alma piedosa que se ofereceu para levar meus pais sem cobrar nenhum tostão... 
     Lá no hospital, mamãe foi levada imediatamente ao centro cirúrgico. Dor e alegria se misturaram no mesmo momento e lugar, mas ela não deixou se abater por um sentimento repentino; alegrou-se então no maravilhoso dom da vida para que eu nascesse e e fosse, por todo meu trajeto mundano feliz. Então nasce um menino sujo de sangue, sem dentes nem cabelo, que no meio de dores, alegrias, sofrimentos e emoções, foi posto no mundo por uma mulher tão batalhadora, que que para cuidar de minha vida, ofereceu-me a dela. Eu podia não ser tão lindo assim, mas mesmo depois de morta, ela continuou me achando o menino mais lindo do mundo.

Simon-Poeta

Sua Opinião:

0 comentários:

Enviar um comentário